[Resenha] Desastre

REGRA N° 1 : NÃO SE ENVOLVA COM HUMANOS.

Em um mundo onde sentimentos, caminhos e valores dos seres humanos são comandados por entidades superiores, o destino pode ser traiçoeiro. Conheça Fado, um imortal que designa sinas aos homens, mora num apartamento de luxo em Nova York e veste uma atraente roupa humana. Solidário com seus clientes e apaixonado por uma vizinha, ele passa a burlar suas tarefas, alterar destinos e bagunçar as coisas no reino dos Céus. Com um texto leve, hilário e muito atual, Desastre vai fazer você repensar suas escolhas, acreditar no poder do amor e descobrir que até a Morte não é assim tão má pessoa. – Sinopse.

De longe a leitura mais leve e bem-humorada que fiz desde a queda do Império Romano.

Fado (também conhecido por seu nome mortal para passar despercebido: “Fábio”) nos apresenta sua rotina de trabalho, que envolve viajar na velocidade da luz por vários lugares do mundo distribuindo e reajustando o fado dos humanos (que teimam em não permanecer no caminho em que deveriam seguir desde que nasceram), reclamar sobre seu trabalho e sobre seus humanos idiotas que são imensos desperdícios de carbono e não fazem nada que preste (já que todos os humanos que tem um futuro brilhante pela frente não estão sob a sua jurisdição, e sim de Destino) e ficar por aí se embebedando ou se metendo em encrenca com seus amigos (e não tão amigos assim) imortais. 

O problema dos imortais é que eles são todos problemáticos.

Destino é ninfomaníaca. Dona Sorte sofre da Síndrome do Déficit de Atenção. Preguiça é narcoléptico. Gula tem intolerância à lactose. Segredo é paranoica. Honestidade é passivo-agressiva. Atração é narcisista. Paixão é bulímica. Amor é codependente. Desejo é obsessivo-compulsiva. Carma é alcoólatra. Verdade é cleptomaníaco. Sabedoria tem complexo de inferioridade. Morte é necrofóbico. E assim por diante...


E o problema de Fado é que ele está completamente cansado de ver os humanos fazendo todas as escolhas erradas.
“Regra #1: Não se envolva.
Uma regra de fato tão simples. Mas aqui estou eu, sentado em um shopping em Paramus, Nova Jersey, e me sentindo frustrado.
Irritado.
Decepcionado.
Oitenta e três por cento dos seres humanos são criaturas previsíveis, quanto a seus hábitos, e ficam presos em rotinas, estilos de vida e vícios ou passam a vida trocando um vício por outro.
Meus oitenta e três por cento. Meus seres humanos. Todos os cinco bilhões e meio deles.”
(cinco bilhões e meio de humanos para administrar! o.o E tudo culpa de Morte que não quis matar aqueles humanos idiotas e impedir o "Descobrimento da América")

Juntando a inabilidade dos humanos de fazer a escolha certa, a vadia Destino jogando na cara dele que ela é tudo o que ele gostaria de ser, os mais de quinhentos anos sem falar com seu melhor amigo Morte (também conhecido por Dennis), Jerry (também conhecido como Deus) dizendo que ele não está fazendo seu trabalho direito e Sara, sua nova vizinha que ele não consegue ler porque ela está na jurisdição de Destino e por quem fica completamente apaixonado, Fado decide dizer tchau ao livre-arbítrio dos humanos e começa a interferir, levando-os para o caminho “certo”. Quebrando a primeira regra. 

E de brinde, ele começa a quebrar outras também, por exemplo: Regra #7: Não se apaixone.

Em Desastre, nós aprendemos sobre viagem na velocidade da luz, carma, história (do ponto de vista de quem estava lá), Lei da Predestinação, as principais diferenças entre Fado e Destino (que muita gente acha que é a mesma coisa) e o que as pessoas (ou nesse caso, um imortal entediado com sua vida) são capazes de fazer por amor.

Mas o mais importante de tudo é que, não importa o quanto você queira que seja um romance água com açúcar (se é que vocês me entendem), a gente aprende que para Fado, o amor não é uma escolha. É um desastre.

14 comentários

  1. Adorei sua resenha, despertou minha curiosidade :]

    http://www.ohmydogestolcombigods.com/

    ResponderExcluir
  2. aaa eu quero muito ler esse livro, li muitas criticas sobre ele o/ preciso o/
    acervo-de-livros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Nossa, nunca tinha lido resenha sobre esse livro, estou encantada e mega curiosa, adoro histórias sobre carma, destino, predestinação, e pelo que percebi está sendo colocado de uma forma inovada.
    Dica anotada, preciso ler urgentemente.

    Beijos
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto muito de estórias nesse sentido. E essa é muito legal mesmo!
      Leia mesmo *-*

      Beijos!

      Excluir
  4. Gostei muito da história deste livro, já estou querendo

    Até mais...

    www.bookolicos.com

    ResponderExcluir
  5. Ahhhhhhhhhhh!!!

    Eu estou pra ler esse livro a um tempão, uma amiga minha comprou e já quis me emprestar várias vezes, o problema é minha pilha de livros pra ler que nunca acaba, fico postergando esse!
    Adorei saber um pouquinho mais sobre ele.

    Bjks

    Patty Santos - Blog Coração de Tinta
    http://www.coracaodetinta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pare de postergar e pegue emprestado logo! É muito legal! rsrs

      Beijos

      Excluir
  6. Aaaaaaaah adorei a resenha. Nossa, na boa, tô com vontade de sair correndo pra comprar pra mim! A história parece ser incrível, e adoro livros bem-humorados, ainda mais quando conseguem nos passar alguma lição sem perder essa parte divertida. Entrou na minha listinha! No topo alias! Haha

    Beijokas
    escolhasliterarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! ♥ O livro é muito bom e bem humorado meesmo, eu amei *.* Leia sim, você não vai se arrepender kk

      Beijos!

      Excluir
  7. esse livro parece muito show. cara eu preciso ler. muito. amei *-*
    "(..)Dona Sorte sofre da Síndrome do Déficit de Atenção(..)" é serio, me identifiquei legal. rsrs ( acho que tbm sofro de TDAH )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é muito show!
      kkkkk A Dona Sorte é legal *-*

      Beijos

      Excluir