[Resenha] Trilogia dos Espinhos livro 1 - Prince of Thorns

 As estradas do Império Destruído. Um cenário abandonado há milênios pelos enigmáticos Construtores. É nessa nova era medieval que o Príncipe Honório Jorg Ancrath se vê obrigado a amadurecer para saciar seu desejo de vingança e poder.


Jorg testemunhou o brutal assassinato da rainha-mãe e de seu irmão caçula, ainda criança. Jogado à própria sorte em um arbusto de roseira-brava, ele permaneceu imobilizado pelos espinhos que rasgavam profundamente sua pele, e sua alma. Quatro anos depois, o Príncipe dos Espinhos lidera uma irmandade de assassinos. E sua única intenção é vencer o jogo. O jogo que os espinhos lhe ensinaram. – Sinopse.

Antes de qualquer coisa:
Idade média: Digamos que a expectativa de vida era uns 30 anos.
Dias de hoje: 72 anos.
Logo, 10 anos medievais = 24 anos contemporâneos.
Matemática básica, só para ficar um pouco menos “sinistro” um menino de dez anos que foge de casa junto com um monte de assassinos e sai por aí, bom, fazendo o que assassinos fazem.


Prince os Thorns é narrado em primeira pessoa, pelo Príncipe Honório Jorg Ancrath, também conhecido como Príncipe dos Espinhos, Irmão Jorg (porque na irmandade dos assassinos eles se chamam de irmãos) ou apenas Jorg. Magistralmente narrado, devo dizer. (por mais que esses créditos provavelmente devam ser dados ao Mark Lawrence)

Por ser narrado pelo próprio Jorg, fica realmente claro que ele não é apenas bom no que faz, ele gosta de fazer.


Jorg saiu de casa em busca de vingança. Ele queria a cabeça do Conde de Renar, o homem que encomendou a morte de sua mãe e irmão (e sua, já que ele só escapou porque os assassinos não o viram). Porém, em algum momento do percurso, ele deixou a vingança de lado para se concentrar em um objetivo maior: O Jogo dos Tronos. Jorg quer reunificar os reinos e se tornar o Imperador.

Antes de fazer isso, no entanto, ele precisa voltar para casa e provar para seu pai (que já está casado com outra mulher e esperando um novo filho) que ele tem valor como príncipe e merece ser o sucessor do trono. Ele volta após 4 anos na estrada (já com 14 anos, um homem feito!) e a estória se desenrola.


O Príncipe não volta para casa no comecinho do livro, isso é lá para a página 100, mas foi a partir daí que a estória começou a tomar um rumo. Não que antes disso o livro não seja bom, eu estava curtindo eles na estrada tocando fogo em um monte de camponeses, só não tinha achado uma trama que rendesse uma trilogia ainda. Após a volta ao castelo, eu achei.


No geral, Prince of Thorns é um excelente livro. Tudo nele é bom, até mesmo as cenas de violência são na medida certa. Nada que seja muito nojento. (para aqueles meus queridos leitores que talvez não gostem de muita violência ♥)
E eu já comentei a narração maravilhosamente bem narrada? (haha) Digna de alguém que cresceu dentro da biblioteca do castelo, com um tutor lhe ensinando tudo o que se é preciso para um dia ser Rei.


O livro não ganhou cinco estrelas porque 1°: Muitos personagens e um monte com nomes parecidos! Claro que tem aqueles que mais se destacam (Rike, Nubano, Makin...), mas houve momentos em que tive que parar a leitura para tentar lembrar quem era quem. Até os cavalos têm nome! (não todos, mas enfim...)


 2°: Tem momentos que o Jorg fumou um baseado antes de narrar. Sério! (hahaha) São bastante confusos.. Tudo bem, você não pode esperar que um cara esteja quase morrendo, dentro de uma caverna, lutando com um monte de esqueletos que voltaram à vida e ainda assim seja a clareza em pessoa, mas estou só comentando...
(esses dois itens estão sujeitos ao meu nível de sono enquanto lia, pode ser que tenha sido eu e não o livro u.u')


e, 3°: Eu não senti. Ao menos não o tempo todo. Tem livros que você pega para ler sabendo que não vai ter grandes emoções, então tudo bem. Mas, ao pegar esse, eu esperava e, como criar expectativas é sempre uma bosta (desculpem a palavra)... Houve momentos em que eu fiquei empolgada, chocada etc., mas não tanto quanto pensei que ficaria.

(apenas ressaltando que esses pequeninos detalhes não impediram que o livro entrasse para minha listinha de preferidos *-* eu até sonhei que estava no meio de uma guerra com espadas na Idade Média o.o hahahaha)


E, para finalizar, não poderia deixar de mencionar ‘o livro’. É quase “dane-se a estória, compre só para ter essa belezinha na sua estante!” de tão boa que é a edição. (a minha é a encadernada, mas também tem disponível em brochura)
As fotos devem valer mais que mil palavras (ah! a frase feita..), mas não custa dizer que é um dos livros mais bonitos que eu já vi na vida. E o projeto gráfico combina tão bem com a estória... É magia pura. (a capa original tem o mesmo desenho, só que mais clara. gostei mais da brasileira)


Bom, é isso. Deixo-os com um profundo parecer da essência de Honório Jorg Ancrath:

“Pode me considerar um orador”, eu disse. “Quando o palco nos chama para atuar, alguns homens são mais eloquentes do que outros. Alguns homens nascem com um talento natural para o arco e flecha.” Acenei para o nubano. “Alguns homens conseguem acertar na mosca a centenas de metros. Eles não miram melhor porque assim desejam, não são mais certeiros porque defendem o que é justo. Eles apenas atiram com mais precisão. Agora, quanto a mim... eu apenas me vingo melhor do que a maioria. Você pode considerar um dom.”



14 comentários

  1. Quero muito este livro. Sério, a DarkSide Books fez uma edição mais que perfeita e a história me chamou muita atenção... porém ele é caro (eu entendo o porquê, mas é caro).
    E nossa, que resenha demais!!

    Enfim, tchau tchau!
    Otávio Braga || bookolicos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aham, é caro u.u Comprei ele e O Chamado do Cuco no mesmo mês, ou seja, estou falida /õ/ kkkk
      Obrigada ^^

      Excluir
  2. Não é o tipo de leitura que eu curto, mas a capa é tão maravilhosa que dá até vontade de comprar! hahahaha
    Não só a capa, o livro todo é perfeito... cada detalhe lindíssimo! Tenho que dar parabéns a DarkSide. rs

    Beijos.
    http://viciosemtres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que não? '-' (tão legal..) Mas verdade! kk

      Excluir
  3. Parece ser um livro muito bom
    Pelo menos a capa é linda

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oie,
    o livro parece ser bom. É capa dura ou foi só impressão minha?
    Adorei a dica.

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi parceira, tudo bem?

    A Dark Side sempre surpreende pelo acabamento impecável do livro, de fato dá vontade de ter só pela beleza dele. rsrs

    Eu não gosto de nomes iguais também, me confundo toda! Mas mesmo assim acho que este vai para a lista dos que quero muito ler. :)

    Beijos!

    escrev-arte.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aham! Até hoje estou chorando internamente que a versão encadernada dos Goonies acabou e não consegui comprar. É muita maldade deles fazerem essa edição limitada tão pequena t.t kkkk

      As vezes eu me confundo com nomes diferentes, imagina.. haha Mas o livro é muito bom mesmo, leia sim =D

      Beijo

      Excluir
  6. Gostei da sua resenha. Voce é bem direta na descrição das suas impressões. hahaha
    Já tinha visto foto da capa desse livro mas não tinha ideia que ele era tão lindo por dentro. Essas ediçoes super lindas contam muito na hora de comprar um livro.

    Beijo
    Blog Sem Spoiler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas tem que ser, se for florear fica um texto enorme. kkkk
      Com certeza! Edições lindas são compras obrigatórias! xD

      Beijo

      Excluir
  7. Eu me apaixonei pelo design desse livro e a sinopse também me chamou bastante a atenção. Estou querendo muito ler.É a primeira resenha que leio e me atiçou. :)

    http://leitoraemtransicao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que você tenha ficado com vontade de ler! ^^

      Excluir
  8. Muito Boa sua postagem dessa coleção, não ia comprar, mas depois de ver eles, fiquei na dúvida se compro ou não. =^~^=

    ResponderExcluir