[Resenha] Extraordinário

Olá, gente! Mil desculpas pelo sumiço, mas estou de volta! :)

“August (Auggie) Pullman nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.”  - Sinopse.


Uma coisa interessante sobre este livro: ele é narrado por diferentes personagens ao longo dos acontecimentos - ou muda de POV(Point Of View), como você preferir.


EXTRAORDINÁRIO

Já me disseram mais de uma vez que esperar sempre o melhor das pessoas é ingenuidade. 
Eu me mantenho firme contra essa opinião – e, não poucas vezes, sofro surpresas desagradáveis por isso – porque, se não for assim, o mundo se torna um lugar pior do que já é. Auggie Pullman tem dez anos de idade e já discorda de mim.

Extraordinário foi escrito para crianças, e o objetivo é fazer o leitor se perguntar por que razão alguém tão novo precisa achar normal a crueldade humana a respeito das diferenças. 
Afinal, o medo que August sente em ir à escola é justamente um produto de todos os pequenos traumas sofridos até então: olhares de nojo, piadinhas “inocentes” sobre seu rosto e o pré-julgamento de quase todos que se aproximavam do garoto.

Felizmente, os pais do protagonista representam força e proteção na história do livro, mas fiquei pensando em quantos Auggies existem por aí, e quantos deles nem sequer contam com o amor da família. Entenda: o “problema” não é sempre uma síndrome genética que afeta o rosto. Às vezes é uma crise de identidade de gênero; religião; o tipo de corpo; deficiência física; distúrbios psiquiátricos; orientação política; sexualidade; o ser mulher. Na maioria dos casos, o diferente é ser você mesmo.

Alguns críticos declararam que, em Extraordinário, a vida de August Pullman é um manifesto em favor da gentileza, e é mesmo. Mas o interessante é que esse manifesto foi feito silenciosamente e por meio de exemplo – não só de Auggie, mas de seus parentes e amigos. Não é minha intenção soar moralista (talvez seja tarde demais...), mas essa é uma boa lição para todo mundo: a construção de uma sociedade mais justa não começa em passeatas e grandes manifestações, mas no “bom dia” a uma pessoa com quem a maioria não se importa.

É um bom livro infanto-juvenil. E não é só para crianças.


Se você quiser se informar melhor sobre a síndrome que o Auggie tem, é só pesquisar "Síndrome de Treacher Collins" no Google. É sempre bom aprender, né? Eu, como futura profissional de saúde, adorei entender mais para ajudar as pessoas. Beijos!


23 comentários

  1. Conhecia o livro de vista, mas é a primeira vez que leio uma sinopse/resenha. A historia deve ser muito boa, acho legal fazerem um livro com esse tema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei muito de ler. É leve, porém realista. Perfeito para crianças... Recomendo. Abraços!

      Excluir
  2. Estou querendo ler esse livro a um tempo. comprei ele, e estou esperando ele chega. Realmente a historia é incrível.

    ResponderExcluir
  3. Parece ser uma historia incrível.*.*
    Eu não sabia que a historia era essa, vou comprar esse livro. :D

    ResponderExcluir
  4. Uma amiga minha falou que ia me dar esse livro, mas eu não cheguei a procurar saber a historia.
    Não esperava que a premissa fosse ser essa. Agora estou super ansiosa para que meu livro chegue.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tema ótimo, né, Kelis? Boa leitura... Abraços!

      Excluir
  5. Olá, tudo bem??

    Já li muuuuitas resenhas sobre esse livro e me apaixono cada vez mais... Com certeza ainda voou ter ele na minha estante. Acho que deve ser muito legal a leitura, principalmente pela mudança do POV...

    XOXO
    umnovo-roteiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também achei interessante essa ideia de alternar a narração!! Boa leitura. Abraços!

      Excluir
  6. nao li o livro ainda mas quero muito, todas resenhas que leio sao sempre positivas o que me deixa animada.

    ResponderExcluir
  7. Li esse livro não faz muito tempo e gostei mas acabei achando que a história ficou muito simples e senti falta de alguma coisa =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que pena, Tamara! Eu gostei bastante... Abraços!

      Excluir
  8. Ouvi muita gente falar sobre esse livro e vi citações incríveis vindas dele, já tá na minha lista de desejos faz tempo, é uma história incrível e nos faz refletir muito sobre os pré-julgamentos que as vezes fazemos até sem querer.

    ResponderExcluir
  9. Tanta gente recomenda esse livro e eu ainda não o li. E olha que eu tenho ele kkkkkk
    Mas com tantos livros para ler acabei deixando ele de lado.... mas vou tentar lê-lo em breve =)

    ResponderExcluir
  10. Eu amoooooo esse livro!!!
    Ele me trouxe vários sentimentos: alegria, risos, choros, indignação, tristeza, dor.
    É um livro IN-CRÍ-VEL!!!!
    Não tem comparação!!!
    Quem sofreu bullying (como eu) entende bem, porque ele é um livro tão lindo e especial! (=
    amo demais!!
    bjos
    Ana
    elvisgatao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Extraordinário é um livro encantador, emocionante e nos dá grandes lições. Eu adorei a leitura dele e concordo que qualquer pessoa de qualquer idade pode ler e se apaixonar por ele! <3 S2

    ResponderExcluir
  12. Oiiê
    eu li esse livro ano passado e foi muito bom a leitura del, não esperava muito sobre o livro, comprei pela capa e pensava que era uma distopia (sou muito leso) e realmente me surpreendeu bastante amei a sua resenha, você esta de parabéns
    Bjks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Netinho. Saiu uma nova agora há pouquinho ;)

      Excluir
  13. Já li o livro e concordo em muitos pontos com você. Realmente é um bom livro para servir de lição para o mundo. E os pais do Auggie são maravilhosos, ele tem muita sorte quanto a isso. Mas confesso que não gostei muito do livro. Não me instigou o suficiente e eu me senti meio que querendo abandonar a leitura.

    ResponderExcluir